Utilizamos cookies para melhorar sua experiência de navegação. Se você continuar no site, consideraremos que está de acordo com nossa política de Privacidade e de Cookies
1
ANAJUSTRA impede descontos previdenciários ilegais
27/01/20 14:21 Fonte: Assessoria

Decisão é do presidente do CSJT, ministro Brito Pereira.

Após pedido de providências da ANAJUSTRA, o presidente do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), ministro João Batista Brito Pereira, determinou aos Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs) que compensem as contribuições previdenciárias já recolhidas a maior dos benefícios pagos aos servidores públicos aposentados portadores de doença incapacitante.

Diz a decisão: “observem a anterioridade nonagesimal para a aplicação dos efeitos da revogação da isenção tributária operada pelo art. 35 da Emenda Constitucional n° 103 de 2019, observada a compensação das contribuições já eventualmente recolhidas a maior com as contribuições vincendas, aplicando-se as regras de cálculo da redação originária do art. 40, § 21 o da Constituição da República, até março de 2020”.

Leia a íntegra do despacho

A ação foi necessária porque alguns tribunais estavam aplicando indevidamente a suspensão da isenção de contribuição previdenciária aos servidores aposentados portadores de doenças incapacitantes.No pedido, a associação sustenta que essa medida deve ocorrer apenas após noventa dias da data da publicação da EC 103/2019, conforme norma contida no art. 195, § 6o da Constituição da República. Ainda segundo a entidade, os efeitos da revogação trazida pelo art. 36 da EC não são imediatos, como se verifica a seguir:

"Art. 36. Esta Emenda Constitucional entra em vigor: 

( ... ) 11 - para os regimes próprios de previdência social dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, quanto à alteração promovida pelo art. 1° desta Emenda Constitucional no art. 149 da Constituição Federal e às revogações previstas na alínea "a" do inciso I e nos incisos III e IV do art. 35, na data de publicação de lei de iniciativa privativa do respectivo Poder Executivo que as referende integralmente;"

Para o vice-presidente da ANAJUSTRA, Áureo Pedroso, esse é um exemplo da atuação assertiva da associação no campo administrativo e judicial. Segundo ele, a decisão do Conselho mostra que há espaço para o ajuizamento da questão. “Diante da fundamentação utilizada pelo Conselho para acolher o nosso pedido, teremos mais elementos para o ajuizamento de ação judicial visando afastar a majoração das contribuições não só até março/2020, mas das alíquotas previdenciárias estabelecidas na Emenda Constitucional 103/2019.”

Confira ofício do ministro para o presidente da ANAJUSTRA, Antônio Carlos Parente

*Esse texto tem cunho informativo e não, necessariamente, reflete o posicionamento da ANAJUSTRA sobre o tema.
Acessos: 31127
Filie-se a Anajustra

Você ainda pode ler este mês

Valorize o conteúdo feito especialmente para você, servidor da Justiça do Trabalho.

Já é associado ? Faça seu login e desbloqueie todos os conteúdos do site

Filie-se a Anajustra

Conteúdo exclusivo

Associado, para continuar lendo, faça seu

Ainda não é associado?

Faça parte da maior entidade
associativa do Judiciário Trabalhista.

Conheça os benefícios