Utilizamos cookies para melhorar sua experiência de navegação. Se você continuar no site, consideraremos que está de acordo com nossa política de Privacidade e de Cookies
0
Reforma da Previdência vai ao Senado sem modificações
07/08/19 09:47 Fonte: Assessoria

Todos os destaques foram rejeitados e texto aprovado em primeiro turno segue em tramitação.

Sessão foi aberta na terça a noite e seguiu até 1h da manhã desta quarta. Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados.

Os deputados rejeitaram todos os destaques apresentados ao texto da Reforma da Previdência. Assim, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019 segue para o Senado com a mesma redação que venceu o primeiro turno na Câmara.

O destaque com maior número de votos favoráveis foi apresentado pelo PCdoB e pretendia proibir o pagamento de pensões por morte menores que um salário mínimo. Apesar disso, os 153 votos favoráveis estiveram longe dos 308 necessários.

Para os servidores, eram duas propostas: uma do partido NOVO que excluía uma das possibilidades de transição e outra do PDT que retirava a necessidade do pedágio de 100% para que os atuais participantes do sistema tenham direito à aposentadoria. Ambos foram rejeitados, o primeiro por 394 votos e o segundo por 352.

Texto base

Na madrugada desta quarta-feira, 7/8, os deputados aprovaram em segundo turno a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019. O texto base da Reforma da Previdência, com as alterações feitas no Plenário da Casa em primeiro turno, foi ratificado por 370 votos a 124 contrários.

Agora os deputados devem votar os destaques feitos ao texto antes de enviá-lo ao Senado. Esses pontos são sugestões de mudanças em regras específicas feitas pelas bancadas partidárias para aproximar o resultado final da sua posição. A sessão para avaliá-los está marcada para esta manhã e deve começar assim que houver quórum.

Confira os destaques restantes:

Tema

Partido

Exclui a opção de transição com pedágio para os servidores públicos.

NOVO

Mantém a transição para servidores públicos, mas exclui a necessidade de pedágio de 100%.

PDT

Mantém a regra atual de cálculo das aposentadorias, por média das 80% maiores remunerações.

PT

Exclui a possibilidade de pagamento de pensão por morte inferior a um salário mínimo em caso de o beneficiário possuir outra fonte de renda formal.

PCdoB

Exclui as mudanças nas regras de transição para o trabalhador exposto a agentes químicos nocivos.

PSB

Mantém atual regra de pagamento do abono salarial PIS/PASEP para quem recebe até dois salários mínimos.

PSOL

Exclui regra de restrição do pagamento do BPC para pessoas que possuem renda familiar per capita mensal inferior a um salário mínimo.

PT

Permite que seja contabilizado um mês de contribuição mesmo que o trabalhador recolha sobre valor inferior ao mínimo.

PT

Acompanhe

Na coluna De Olho em Brasília, o assessor parlamentar da ANAJUSTRA, Roberto Bucar, já havia adiantado que a Reforma da Previdência provavelmente seria aprovada em segundo turno sem modificações. Você também pode assistir a sessão plenária ao vivo pelo canal da TV Câmara no YouTube.

*Atualizado em 8 de agosto.

Acessos: 1291
Filie-se a Anajustra

Você ainda pode ler este mês

Valorize o conteúdo feito especialmente para você, servidor da Justiça do Trabalho.

Já é associado ? Faça seu login e desbloqueie todos os conteúdos do site

Filie-se a Anajustra

Conteúdo exclusivo

Associado, para continuar lendo, faça seu

Ainda não é associado?

Faça parte da maior entidade
associativa do Judiciário Trabalhista.

Conheça os benefícios