8 de março: a história e o lugar da mulher
08/03/19 10:33 Fonte: Assessoria

As origens do Dia Internacional da Mulher e alguns de seus desdobramentos.

  • Você sabe como surgiu o Dia Internacional da Mulher?

A comemoração acontece desde 1911, em homenagem às centenas de operárias que morreram queimadas por policiais em uma indústria têxtil de Nova York (EUA), enquanto reivindicavam melhores condições de trabalho, além de igualdade de direitos.

O episódio ocasionou muitas mudanças nas leis trabalhistas para as mulheres norte-americanas e trouxe à tona a discussão sobre igualdade de gênero, direitos, reconhecimento e valorização das mulheres em todo o mundo.

Algumas das principais conquistas das mulheres brasileiras desde o primeiro Dia Internacional da Mulher


Fontes: Folha de São Paulo e Super Interessante

De acordo com o Fórum Econômico Mundial serão necessários 95 anos para que mulheres e homens atinjam situação de plena igualdade no Brasil.

Em 2018, o país ficou na 90ª posição no ranking global que avalia as condições enfrentadas pelas mulheres em 144 países, atrás da Argentina (33º), Colômbia (36º), Peru (48º), Uruguai (56º), Chile (63º) e México (81º). 

Representatividade feminina na Justiça do Trabalho

A Justiça do Trabalho é o ramo do Poder Judiciário com mais mulheres (47%), segundo dados do PNAD, sendo que, somente de servidoras, esse número chega a 52%, conforme Censo do Poder Judiciário, elaborado pelo Conselho Nacional de Justiça.

  • No âmbito do Tribunal Superior do Trabalho, o que se vê é um aumento no número de mulheres em atuação, inclusive exercendo funções de liderança. Embora os homens ainda sejam maioria entre os ministros que atuam na Corte (dos 26 ministros em exercício, cinco são mulheres), elas já são maioria entre os servidores e entre os que exercem a função de chefe de gabinete. O percentual de servidoras chega a 50,2% do total (1101 mulheres e 1091 homens). Entre os chefes de gabinete de ministro, 19 são mulheres e oito são homens (70,37%).


Fonte: Censo Poder Judiciário

Rompendo as barreiras institucionais, no Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (TRT5), a Mesa Diretora eleita para o biênio 2017-2019 é integrada unicamente por mulheres, com as desembargadoras Maria de Lourdes Linhares Lima de Oliveira, Débora Maria Lima Machado, Dalila Nascimento Andrade e Marizete Menezes Corrêa.


Fonte: TRT5

Março Mulher

Com objetivo de celebrar a data e homenagear todas as mulheres servidoras da Justiça do Trabalho, o Programa Bem Viver, da ANAJUSTA, irá promover a terceira edição da ação Março Mulher, que vai percorrer Tribunais das cinco regiões do Brasil com serviços de saúde, beleza e bem-estar, incentivando o autocuidado entre as participantes.

Acessos: 762