Justiça do Trabalho terá logomarca única, afirma presidente Brito Pereira
23/11/18 08:31 Fonte: CSJT

Para o ministro, "nesse momento tudo que significa dispersão deve ser evitado."

Na abertura do Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor), na quarta-feira, 21, o presidente do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) e do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Brito Pereira, destacou que a Justiça do Trabalho terá identidade única. O projeto visa integrar os Tribunais Regionais do Trabalho. O presidente afirmou que as páginas iniciais dos sites dos Tribunais Regionais também serão padronizadas, a fim de melhor identificar a Justiça do Trabalho. “A ideia é unificar a logomarca, pois nesse momento tudo que significa dispersão deve ser evitado”, alertou.

Tecnologia da Informação

O presidente afirmou que a 9ª e a 18ª Regiões já instalaram, desde a semana passada, a versão 2.3 do PJe e, tão logo sejam resolvidas pendências  e inconsistências eventualmente verificadas, deverá ser definida uma semana na qual será feita a migração dos 24 Tribunais Regionais para a nova versão, a fim de que toda a Justiça do Trabalho esteja no mesmo patamar.    

O ministro Brito Pereira lembrou a determinação do Tribunal de Contas da União para que os Tribunais mantenham suas equipes de Tecnologia da Informação lotadas no setor de TI. Para o presidente do CSJT, é fundamental fazê-lo, pois há muitos projetos nacionais na área da informática e não se pode prescindir do trabalho dos técnicos especializados na área.

Relações Institucionais

O presidente também destacou a visita ao TST do presidente da República eleito, Jair Bolsonaro. O futuro presidente se mostrou interessado em manter o diálogo e afirmou que se precisar fazer algum movimento em torno da legislação do trabalho, não o fará sem ouvir previamente o TST.

Na reunião, que contou com a presença de quase todos os ministros do TST, o ministro Brito Pereira falou das atividades da Justiça do Trabalho, do seu papel constitucional, da celeridade dos julgamentos e do compromisso social de buscar a conciliação, às vezes mesmo antes de o litígio ser ajuizado, visto que as categorias procuram obter acordos, a fim de evitar greves nacionais como a dos Correios e a do Serpro, por exemplo. Mencionou campanhas como as das Semanas Nacionais da Conciliação e da Execução Trabalhista, em que são feitos numerosos acordos e solucionados conflitos sociais. “Esse é um trabalho silencioso, que não aparece. Fazemos tudo isso sem estardalhaço, com a serenidade que identifica o trabalho dos magistrados”, disse o ministro Brito Pereira.

O presidente do CSJT relatou, também, a visita institucional que fez ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, com quem conversou sobre a produtividade da Justiça do Trabalho.

Doação de sangue

O presidente do CSJT manifestou a intenção de desenvolver, em 2019, em período a ser definido, campanha de conscientização sobre a importância da doação de sangue envolvendo os servidores da Justiça do Trabalho. “Pedirei aos Tribunais que desenvolvam campanhas semelhantes na mesma semana, pois assim muito contribuiremos para o êxito do trabalho do Hemocentro, que, como todos nós sabemos, significa vida”.  

Por fim, saudou os desembargadores que passam a integrar o Colégio e aqueles que terminam seus mandatos. “Se um dia o Coleprecor inexistiu, noutro sofreu alguma resistência, noutro foi apenas reconhecido, hoje ele é imprescindível. O presidente deve sempre ouvir o Colégio, e eu sou testemunha do quanto essa interação facilita nosso trabalho de administrador”.

*Esse texto tem cunho informativo e não, necessariamente, reflete o posicionamento da ANAJUSTRA sobre o tema.
Acessos: 461