CSJT empossa novo assessor na Coordenadoria de Orçamento e Finanças
07/03/18 09:31 Fonte: CSJT

O novo assessor da CFin tem 40 anos de carreira e abriu mão da aposentadoria para dar continuidade ao trabalho na área orçamentária e financeira do CSJT.

O Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) empossou, na última sexta-feira, 2/3, o servidor Anardino José Cancio para atuar como assessor na Coordenadoria de Orçamento e Finanças (CFin) do Conselho. A posse foi um esforço da nova gestão do CSJT para atender melhor as demandas de orçamento da Justiça do Trabalho.

O novo assessor da CFin tem 40 anos de carreira e abriu mão da aposentadoria para dar continuidade ao trabalho na área orçamentária e financeira do CSJT, na qual atuou por 16 anos, afastando-se do cargo apenas para exercer a função de secretário de Orçamento e Finanças no Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região (TRT-AL).

De acordo com a coordenadora da CFin, Kátia dos Santos Silva, a indicação de Anardino Cancio para a função se fez necessária devido ao seu conhecimento técnico e à carência de servidores especializados no assunto da coordenadoria. “Nós temos uma dificuldade muito grande em encontrar técnicos capacitados para trabalhar na setorial”, explicou Kátia.

A secretária-geral do CSJT, Marcia Lovane Sott, destacou a preocupação da Presidência do TST/CSJT em relação às demandas de pessoal na CFin. Sabendo das dificuldades enfrentadas pela equipe, o presidente do TST, ministro Brito Pereira, autorizou a nomeação. A próxima meta, segundo a secretária-geral, é a transformação da CFin em uma secretaria, alterando a estrutura da unidade.

Segundo Anardino, três questões motivaram-no a dar continuidade ao trabalho no CSJT. A primeira diz respeito às dificuldades com a quantidade de demandas. “O volume de trabalho da CFin é muito grande e uma equipe reduzida não consegue dar conta de todo o trabalho”, observou.

Já a segunda questão se refere ao projeto de capacitação de servidores dos TRTs que trabalham nas áreas de finanças, orçamento, planejamento, contabilidade e custos. “Estipulamos 35 cursos específicos que são fundamentais para o servidor e que irão colaborar para a melhoria da qualidade do trabalho. Como estou à frente deste projeto, quero dar continuidade”, explicou.

O desenvolvimento do Sistema de Custos para a Justiça do Trabalho é outra atividade que estimula o assessor da CFin. O projeto foi criado pelo próprio Anardino. “Coordenei um grupo técnico, de 2013 a 2015, para modelar o sistema de custos. É um assunto recente na administração pública e tem sido cobrado cada vez mais pelo Tribunal de contas da União (TCU)”, destacou, para depois lembrar os desafios dos próximos anos. “O Planejamento Estratégico da JT prevê a implantação do sistema em todos os TRTs até 2021. A previsão para 2018 é que seja implementado nos Tribunais das 1ª, 2ª e 8ª Regiões”, concluiu.  

*Esse texto tem cunho informativo e não, necessariamente, reflete o posicionamento da ANAJUSTRA sobre o tema.
Acessos: 213