A ANAJUSTRA agora é ANAJUSTRA FEDERAL. Entenda.


Amor à música

 08/10/2020    0    0    258  

Mariah Wagner é intérprete e descreve o processo de criação musical.

“Gabrieeeeeeela! Sempre Gabriela...” Com melodia e letra inesquecíveis, a música “Gabriela” (suíte “Tema de Amor”), criada por Tom Jobim, ganhou a interpretação de Mariah Wagner, associada aposentada pelo TRT15. A realização do sonho aconteceu durante a pandemia e o jeito encontrado pela cantora e pelos músicos do Sexteto Produções foi gravar as vozes e instrumentos em casa. “Em agosto de 2020 pude cantar com uma orquestra verdadeira, em home office, por intermédio da Sexteto Produções e Jefferson Anastácio, cantor e violinista, que me acompanhou remotamente. Para este projeto, fiz quatro gravações de vocais, como podem ver no vídeo. Também recebi muito apoio e dicas da cantora Brisa”, explica Mariah.

Confira o resultado:

 

Além deste desafio, completado com sucesso, Mariah teve outra experiência com produção musical em casa: em 2012, ela transformou o escritório de casa em um estúdio provisório e gravou o vocal das canções do álbum “Nanquim”. “Patrícia Bellini Klinke foi minha produtora, engenheira de som e tudo mais. Gravei por playback”, diz.

“Canto pelo simples e puro amor à música”

No entanto, Mariah afirma que não canta profissionalmente. “Canto pelo simples e puro amor à música.” O amor pela música, especialmente pelo canto, vem da infância, de dentro de casa. “Cresci com pai e irmão musicistas, que me proporcionaram bom gosto musical. Fui coralista por dezenas de anos. Atuei por curto período, antes de entrar para a carreira jurídica e serventuária. Mas fôra minha mãe que me influenciara mais, porque também cantava. Era soprano”, relembra.

Além de Tom Jobim, óbvio, a cantora compartilha seus/as intérpretes favoritos/as: “Toda a geração de meus pais, como Lupicínio Rodrigues, Cartola, Adoniran Barbosa, Elizete Cardoso, Dolores Duran, Louis Amstrong e Ray Charles. Sou fã de Tom Jobim, Chico Buarque, Caetano Veloso, Quarteto em Cy, Carlos Lyra, Vinícius de Moraes, Elis Regina, Evinha e tantos outros”.

Questionada sobre composição, ela diz que escreve mas deixa tudo guardada para si mesma. “Escrevo poemas rítmicos e estou na metade do meu primeiro livro.” Enquanto a cantora não publica o livro, acompanhe as criações musicais de Mariah Wagner pelo Facebook.

Escute as músicas do CD “Nanquim”:

*Laís Costa, da assessoria