A ANAJUSTRA agora é ANAJUSTRA FEDERAL. Entenda.


Com estúdio em casa, associado mantém criação musical

 27/08/2020    0    0    489  

Maurício Vieira é servidor do TRT1.

As festas na casa da família de Maurício Vieira, servidor do TRT1, tinham um palco aberto para os músicos amadores. Ele se lembra do tio Antônio que conseguia fazer a festa acompanhado apenas do violão. "Três acordes e muito swing, fazia a festa sozinho. A música entrou na minha vida desde muito cedo, ainda na infância. Minha família tem vários músicos amadores. As lembranças das festas daquela época sempre têm a música como protagonista. Era o motivo para juntar as pessoas."

A adolescência vivida em plena década de 1980 aproximou Maurício do rock, especialmente do brasileiro, que tinha como expoente as bandas Legião Urbana e Barão Vermelho, por exemplo. Na época, ele aprendeu a tocar violão e guitarra e encarou a aprendizagem com bastante disciplina.

"Logo o ouvido já me cobrava canções mais rebuscadas. Assim, fui descobrindo a MPB, Djavan, Milton Nascimento, Lô Borges e Beto Guedes. Adoro o Clube de Esquina. Chico Buarque, Gil, Caetano, a bossa nova, e tantos outros. Enfim, a música brasileira é a melhor do mundo. Uma escola e tanto", diz.

Intuição musical

Maurício também é compositor e conta como é o processo de criação. “É bem intuitivo. Adoro as melodias. Sempre que estou com o violão, um acorde que soa bem já intui uma canção. Assim, me obrigo a procurar algum tema para a letra e dar continuidade ao processo. Outras vezes, se recebo alguma letra de algum parceiro, a busca já é para a melodia que vai melhor combinar com o tema.”

No entanto, ele não almeja uma carreira profissional na música, apesar de já ter passado pela experiência de tocar “na noite”, em bares, principalmente. “Nas horas em que não estou no trabalho faço música para me distrair. Consigo conciliar as duas funções porque a música, pra mim, hoje, é compor em casa. Na verdade, a música até ajuda no trabalho porque é um alívio das tensões do dia a dia, além de ser uma ótima diversão”, explica.

Música em casa

Ele montou um estúdio em casa e diz que consegue registrar suas criações e compartilha as músicas finalizadas em redes sociais e plataformas de streaming. A tecnologia, para Maurício, é aliada dos artistas, músicas e compositores, que “podem dominar todo o processo de criação, sem necessidade de ficar dependente de gravadoras, selos etc. A música independente é uma realidade. Vários artistas fazem dessa maneira e, por isso mesmo, destacar-se nesse meio requer um esforço maior. Há muita coisa de excelente qualidade sendo produzida na música mundial”.

Maurício pretende gravar um CD com qualidade de estúdio profissional, em breve, mas, enquanto o sonho não se realiza, ele continua compartilhando algumas canções pela internet. A estratégia para chegar ao público é destacada pelo músico. “Sempre vai existir alguém em algum lugar querendo ouvir seu trabalho. Mas chegar até lá é que é o segredo.”

Conheça as canções criadas por Maurício Vieira no seu perfil do Spotify ou do Instagram.

*Laís Costa, da assessoria