A ANAJUSTRA agora é ANAJUSTRA FEDERAL. Entenda.


Associada cria animação gráfica com personagem inspirado no 007

 19/06/2020    0    0    1253  

Assista “Fedegoso – O Agente Bond Gases”, curta metragem feito por Laís Faria.

A paixão pelo cinema surgiu ainda na infância, durante férias na casa da avó, no Rio de Janeiro. O momento especial foi rememorado pela servidora aposentada pelo TRT3, Laís Faria de Oliveira, durante entrevista  para o Espaço Cultural.

“Meu primeiro contato com cinema foi quando minha mãe levou a mim e a meus irmãos num cinema no Rio de Janeiro, onde passávamos parte de nossas férias e onde morava minha avó, já falecida. O filme era Branca de Neve e os Sete Anões, de Walt Disney. Fiquei maravilhada. A segunda vez, também no Rio, foi na casa da vizinha de minha avó. Lá, vimos um desenho animado mudo, projetado, à noite, numa das paredes do muro da área externa do apartamento dela - um detetive de bigodinho que, ao andar, dava dois pulinhos, de cuja imagem até hoje me recordo.”

A proximidade com o cinema, influenciada inicialmente pela mãe, cinéfila de carteirinha, permitiu conciliar a paixão pela sétima arte com a profissão escolhida. Durante a graduação em Publicidade e Propaganda, realizada na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), Laís passou do status de espectadora para conhecedora de detalhes técnicos da cinematografia.

“Na cadeira de Cinema do curso de Comunicação aprendi a escrever roteiros e a experienciar o processo de produção cinematográfica com outro entusiasta da sétima arte, o prof. Paulo Pereira, já falecido. Lá, não só era ministrada História do Cinema como também a prática do processo de produção de filmes, na época em ‘Super-8’, que se findava com o Festival de Cinema Padre Massoti – evento semestral, que premiava as produções dos alunos do período de cinema”, diz.

Dedicação à animação gráfica

Assim como muitos associados, Laís se dedicava aos projetos pessoais após a jornada na 1ª Vara do Trabalho de Divinópolis (MG). “A animação gráfica surgiu para conciliar prazer e trabalho. Uma, porque a produção nestes tipos de programas é semelhante ao processo cinematográfico. E duas, porque ao tentar produzir um roteiro meu de 120 minutos, sem sucesso, cheguei à conclusão de que o melhor seria produzir filmes curtos com vistas à internet, onde várias pessoas poderiam ver”, explica.

Por conta do distanciamento com a parte técnica da produção de vídeos e a mudança na tecnologia, Laís teve que se atualizar para criar vídeos. “Nas horas em que não trabalhava na 1ª VT de Divinópolis, estudava, em casa, cursos e tutoriais em livros e on-line para aprender a utilizar programas de animação gráfica. Aos poucos e, ‘apanhando’ muito (até hoje, pois o estudo é constante), comecei a modelar e a animar.”

“Fedegoso – O Agente Bond Gases”

A dedicação à animação gráfica já floresceu, após a criação de um personagem inspirado em um dos clássicos do cinema. “Fã de carteirinha do 007, criei meu primeiro personagem (desenhado para mim por minha irmã Taís, formada em Comunicação Visual), e minha primeira animação: 'Fedegoso – O Agente Bond Gases', inscrita no Anima Mundi (Festival Internacional de Animação do  Brasil), de 2019.”

Laís apresenta os detalhes da história: “Fedegoso (que, no dicionário significa ‘que cheira mal’) é um curtíssima metragem amador de 5 minutos, cujo agente secreto não usa armas. Ele tem uma arma secreta, que todos já devem imaginar qual seja... Bond Gases conta ainda com a ajuda da parceira e esposa, Fedegosa, para salvar as gramáticas das mãos do temido Vilão”.

Com a chegada da aposentadoria, ela já tem outro curta em desenvolvimento com previsão de conclusão em dois anos. “Após, penso criar jogos, baseados nestas pequenas produções. Vamos ver. Ideias é que não faltam. Agora, este é o meu trabalho como aposentada, que venho preparando há mais de 5 anos.”

A convite da animadora gráfica Laís Faria, assista ao curta metragem “Fedegoso – O Agente Bond Gases” . “Ele espera por vocês no YouTube. Não esqueçam de deixar um like para o Fedegoso, ok?”, finaliza.