Utilizamos cookies para melhorar sua experiência de navegação. Se você continuar no site, consideraremos que está de acordo com nossa política de Privacidade e de Cookies


Servidor expõe fotografias autorais em feira artística

 18/11/2019    0    0    366  

Eber Myra de Moraes, do TRT12, é formado pelo The New York Institute of Photography. Confira no blog!

Durante os fins de semana, o servidor e fotógrafo Eber Myra de Moraes, do TRT12, já tem sua programação favorita: fotografar. Ele relembra como a história de fotógrafo começou, por acaso: "Quando meu irmão se casou, o fotógrafo teve um problema com a câmera e 'perdeu' a maioria das fotografias da cerimônia religiosa. Nesse momento resolvi que iria aprender a fotografar. Não iniciei imediatamente porque ainda estava priorizando a vida de concurseiro mas, depois que fui nomeado no TRT-SP, comecei com uma câmera emprestada para ver se levava jeito. Fiz alguns cursos e workshops, e fui praticando, fotografando principalmente as paisagens que encontrava em minhas viagens. Até que comprei minha primeira câmera (semiprofissional) e me matriculei no 'The Complete Course of Photography no The New York Institute of Photography', em 2015, e a fotografia passou a ser mais que um hobby em minha vida."

Além de um hobby

Eber afirma que se especializou em duas vertentes: a sensual e de paisagens. Com isso, normalmente fotografa em cenários diferentes, um com controle total de iluminação, em estúdio, e o outro que depende do dia e do local. "No estúdio posso inserir um cenário, um espelho, uma luz colorida, praticamente tudo na foto pode ser definido por mim. Mas, também gosto de fotografar na natureza, aproveitando o que aparecer à minha frente: mar, montanha, cachoeira, estrada, ponte, lago, cerca, construção abandonada, poça d'água, etc."

Para ele, a fotografia é uma maneira de contar histórias, algumas vão surgindo espontaneamente nos ensaios e outras são "encomendadas", planejadas, a exemplo de exposições ou concursos fotográficos que exigem uma temática específica.

 "Quando saio com a câmera no fim de semana para passear, vou fotografando o que surge à minha frente. Fotógrafos são mais atentos aos detalhes, e conseguimos ver como a foto ficará antes de apertarmos o botão, já sabendo se aquela cena ficará boa ou não. Já nos ensaios fotográficos, planejo com detalhes, o local, a roupa, a maquiagem, etc. É claro que não podemos controlar tudo, às vezes o sol desaparece antes da hora, a maré enche e esconde a faixa de areia da praia, ou começa a chuviscar na hora do ensaio, mas, aí, é a hora de improvisar e fotografar com o que se tem naquele momento."

Produção fotográfica

Apesar de utilizar apenas equipamentos digitais, Eber ainda gosta de imprimir as fotos e mostrar aos amigos, familiares e clientes seus olhares materializados em papel. Além das saídas fotográficas aos fins de semana (ou sessões em estúdio), ele se reúne para estudar fotografia com os colegas do Núcleo de Estudos em Fotografia e Arte (NEFA), em Florianópolis (SC), semanalmente. "Essa troca de experiências, ideias e técnicas é sempre proveitosa. Além disso, me reúno eventualmente com outros fotógrafos num bate-papo informal, e sempre acabamos aprendendo uns com os outros. É bom andar com pessoas com interesses em comum, e acabar com aquela ideia ultrapassada de que o colega é um concorrente. Tem espaço pra todo mundo!"

Enquanto o livro fotográfico reunindo alguns registros de Eber não fica pronto, é possível conferir de perto algumas histórias registradas por ele na Feira Arte Foto, entre os dias 21 e 23/11, evento que será realizado na Helena Fretta Galeria de Arte, na capital catarinense, em parceria com Núcleo de Estudos em Fotografia e Arte (NEFA).

Confira alguns cliques enviados por Eber Myra.